site

Rayssa Leal, a Fadinha, fatura prata no skate street em Tóquio 2020

tmj

A maranhense Rayssa Leal, a Fadinha, de 13 anos, conquistou a prata na madrugada desta segunda-feira (26) no skate street na Olimpíada de Tóquio (Japão), se tornando a medalhista mais jovem do país na história da participação brasileira nos Jogos. Natural de Imperatriz (MA), a atleta marcou 14,64 na somatória, e só foi superada pela dona da casa Nishiya Momiji (15.26), também de 13 anos. Outra japonesa, Funa Nakayama, de 16 anos, levou o bronze (14.49). As disputas ocorreram no Parque de Esportes Urbano de Ariake.

Fadinha encantou nas manobras e na descontração: sorridente ele chegou a dançar algumas vezes, sem se deixar abater pela pressão da decisão por medalha. Estratégia que lhe garantiu a prata, a segunda do Brasil no skate street – no sábado (25) Kelvin Hofler conquistou a primeira.

“ Eu estou muito feliz, esse dia vai ser marcado na história. Eu tento ao máximo me divertir porque eu tenho certeza de se divertindo as coisas fluem, deixa acontecer naturalmente, se divertindo”, disse a skatista ao site do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Sensação nos Jogos de Tóquio, Fadinha chegou nos últimos dias a mais de dois milhões de seguidores nas redes sociais. Agora medalhista olímpica, ela acredita que poderá influenciar mais meninas a praticarem a modalidade.

“Saber que muitas meninas já me mandaram mensagem no Instagram falando que começaram a andar de skate ou os pais deixaram andar de skate por causa de um vídeo meu, eu fico muito feliz porque foi a mesma coisa comigo. Minha história e a história de muitas outras skatistas que quebraram todo esse preconceito, toda essa barreira de que o skate era só para menino, para homem, e saber que estou aqui e posso segurar uma medalha olímpica, é muito importante para mim”, concluiu.

Ficaram pelo caminho

Outras duas brasileiras competiram na primeira fase, mas não se classificaram entre as oitos primeiras colocadas que avançaram à final. Pâmela Rosa, líder do ranking mundial no street, foi a primeira brasileira a se apresentar, na terceira bateria. A atleta ficou em décimo lugar, com total de 10.06 pontos. Momentos depois da disputa, Pâmela postou em rede social uma foto do tornozelo esquerdo, muito inchado e com hematomas. A atleta explicou que sofreu uma lesão na reta final da preparação e agradeceu o apoio da torcida brasileira.

Já a experiente Letícia Bufoni, número 4 do ranking, se apresentou com Rayssa Leal na quarta e última bateria, mas também não conseguiu nota suficiente para ir à final: totalizou 10.91 pontos, ficando em nono lugar.

Fonte: AgênciaBrasil

content_10b92a23-f5b1-411b-a012-7daab242d8cc

Seleção feminina goleia China na estreia do Brasil na Olímpiada

A seleção brasileira de futebol feminino estreou com goleada de 5  a 0 contra a China, na Olimpíada de Tóquio (Japão), na manhã desta quarta-feira (21). Após o triunfo no estádio de Miyagi, na cidade de Rufu, as brasileiras garantiram os três primeiros pontos do Grupo F.

 


O Brasil começou em um ritmo arrasador. Logo aos oito minutos de jogo, a rainha Marta bateu de primeira, inaugurando o marcador. Na sequência, aos 21, foi a vez da atacante Debinha aproveitar o rebote da goleira Peng Shimeng, no chute de Bia Zaneratto, e empurrar para o fundo da rede, fazendo o segundo do duelo.

As chinesas melhoraram o desempenho no final da primeira etapa. Aos 39, Miao Siwen assustou em um chute na entrada da grande área, obrigando a intervenção da goleira Bárbara.

Após o intervalo, a China continuou em busca de diminuir a desvantagem. Aos 6, Wang Shanshan recebeu passe pela direita e acetou a trave da equipe brasileira. Sete minutos depois, aos 13, foi a vez de Debinha finalizar no travessão.

Apesar da seleção asiática ter conseguido equilibrar o confronto, quem marcou mais uma vez foi a Seleção Brasileira. Aos 28, a camisa 10 Marta bateu colocado, no canto esquerdo, e fez o terceiro das brasileiras. Na quinta edição da rainha em Jogos Olímpicos, este foi 12º gol marcado pela jogadora.

Em seguida, o Brasil foi soberano na partida. A meio-campista Andressa Alves foi derrubada por Wang Xiaoxue na área e sofreu o pênalti aos 36. Ela mesma cobrou e fez o quarto do jogo. Ainda deu tempo para o quinto. Debinha deu assistência para a atacante Bia Zaneratto, que empurrou para o fundo da rede, fechando o placar. China 0, Brasil 5.

As brasileiras voltam a campo no sábado (24) para enfrentar a Holanda. A partida será realizada no estádio Miyagi, às 8h (horário de Brasília).

Seleção masculina estreia nesta quinta (22)

O escrete olímpico masculino faz o primeiro jogo contra a Alemanha, nesta quinta (22), às 8h30 (horário de Brasília), no estádio Yokohama Internacional, na cidade de Yokohama. Os brasileiros vão reeditar a final dos Jogos da Rio 2016, quando o país levou a melhor nos pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar. A vitória por 5 a 4 nas penalidades garantiu o ouro inédito ao Brasil no futebol olíimpico.

site-01

Federer desiste de Olimpíadas após lesão no joelho

olim-01

whatsapp-image-2021-07-08-at-16-54-431

Japão declara estado de emergência em Tóquio

whatsapp-image-2021-07-08-at-16-54-432

whatsapp-image-2021-07-08-at-16-54-402

Pela segunda vez na história, Brasil fica fora da Olimpíada no basquete

 whatsapp-image-2021-07-08-at-16-54-421

A seleção brasileira de basquete masculino

não irá aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Depois

de vencer os seus primeiros três jogos no Torneio

Pré-Olímpico em Split, na Croácia, o Brasil

perdeu a final para a Alemanha, por 75 a 64,

e deu adeus à chance de classificação.

O destaque alemão foi Moritz Wagner, do

Orlando Magic, que anotou 28 pontos

e seis rebotes. Os líderes em pontuação

do Brasil foram os veteranos Anderson

Varejão (14) e Alex Garcia (10).

 O Brasil disputava o Pré-Olímpico Mundial
— uma espécie de repescagem — depois de
não ter conseguido uma das duas vagas da
América na Copa do Mundo — os classificados
foram Estados Unidos e Argentina.
whatsapp-image-2021-07-08-at-16-54-401

Vou brigar até o último segundo pela medalha na Olimpíada, diz ‘Bolt’ brasileiro

Alexsandro Melo, mais conhecido como “Bolt”, é um dos 51 nomes anunciados pela Confederação  Brasileira de Atletismo que vão disputar as provas masculinas e femininas pelo país na Olimpíada de Tóquio. Em entrevista à CNN, ele fala sobre a preparação para o salto em distância e salto triplo, modalidades que brigará por medalha.

“As expectativas são as melhores. Estamos na fase final de preparação, vamos viajar dia 16, estamos fazendo os últimos ajustes das duas marcas dos dois saltos, só esperando o dia de competir e representar o país. As minhas melhores marcas são 17m31 no salto triplo e 8m19 no salto em distância. Se for comparar no ranking mundial hoje, estaria entre sexto e quinto”, explica.

Fonte: CNN