Professores vão às ruas de Ibatiba após sofrerem ataques na internet

Um grupo de professores realizou uma manifestação, no último sábado (11), pelas ruas de Ibatiba – ES. O gatilho para o manifesto dos profissionais foi um vídeo publicado, na mesma semana, por um empresário da cidade que tem filhos em escolas públicas municipais. No vídeo divulgado, o homem diz que os professores não têm senso de responsabilidade, além de outros ataques ao ambiente escolar.

Em uma das redes sociais que o vídeo foi publicado surgiram alguns comentários de apoio ao empresário, mas muitos outros em defesa dos professores. O assunto repercutiu na internet e em um grupo de whatsapp onde estão cerca de 300 professores da cidade. Sendo assim, os profissionais decidiram se juntar e fazer o movimento na rua.

A professora Tatiana Teixeira, que dá aulas há 23 anos, participou da manifestação e disse que o vídeo foi apenas a “gota d’água” diante de tudo que os professores vêm sofrendo. Ela conta que além do descaso de alguns pais, os profissionais também não se sentem amparados pelo poder público. Tatiana lembra que ela e os colegas já chegaram a tirar dinheiro do bolso para ajudar em tratamento de saúde de alunos, por exemplo.

Diante disso, os profissionais se vêem exaustos, sem nenhuma valorização e apoio. “Estamos remando contra a maré e estamos com os braços cansados” desabafa a professora. Tatiana também reforçou que a manifestação não teve nenhum viés político, que professores de diversos partidos estiveram no ato somente com o único objetivo de pedir respeito e pedir que as cobranças sejam destinadas aos responsáveis, não com ataques aos professores e às escolas.

Desafios

Nos argumentos de Tatiana e de outros profissionais da educação há um ponto em comum com a reclamação do empresário: há dificuldades e desafios dentro das salas de aula. Contudo, isso seria culpa dos professores? Deveriam ser eles os responsabilizados?

Problemas como a lotação das salas de aula prejudicam não só os alunos, mas também os profissionais, que precisam realizar multi-tarefas e administrar o ambiente. Além disso, os professores se queixam da responsabilidade de instruir monitores despreparados para lidar com crianças que têm alguma deficiência cognitiva em sala de aula.

Essa reclamação também foi feita pelo professor Wesley Whea, que trabalha na rede estadual e dá aulas há 15 anos. Wesley diz que realmente alguns alunos ficam prejudicados porque precisam acompanhar um ritmo diferente de outros alunos que necessitam de um suporte adequado e não têm. Todavia, isso também é um problema para os professores, não somente para os estudantes.

Sobre as falas do empresário no vídeo que gerou o protesto, Wesley afirma que esse é um movimento da “elite” que há algum tempo tenta desvalorizar e atacar a profissão dos professores com o objetivo de justificar os baixos salários, por exemplo.

Política

Ao final do vídeo, o empresário diz que ele estará envolvido nas eleições deste ano, mas não disse como. Falou também que este assunto será levado por ele na campanha e chamou pessoas das redes sociais para comentarem sobre. Um tempo após a repercussão na internet, o vídeo foi apagado pelo autor.

Os professores que deram entrevista reforçaram mais de uma vez que, apesar da fala do cidadão sobre política, o intuito dos profissionais que foram ao manifesto não tem nenhum partido e nem lado político.

Procurada, a Prefeitura de Ibatiba não se posicionou diante das manifestações e das queixas dos professores. O empresário também foi procurado, mas não tivemos retorno.

Fonte: AquiNotícias.Com