Justiça manda prender ex-vice-prefeito suspeito de matar mulher no ES

IBITIRAMA (ES) – Após pedido da Delegacia de Ibitirama, a Justiça decretou nesta terça-feira (11) a prisão preventiva do ex-vice-prefeito do município, Celio Martins Morales, de 56 anos, suspeito de matar a esposa, Vanuza Spala de Almeida, de 41, na madrugada de domingo (9). A Polícia Civil informou que investiga o caso como feminicídio.

Segundo o delegado Tiago Dorneles, titular da Delegacia de Ibitirama, a defesa do ex-vice-prefeito já foi comunicada sobre o mandado de prisão expedido. Antes da decisão, o suspeito já havia comparecido espontaneamente à unidade policial, na segunda-feira (10), mas se reservou no direito constitucional de ficar em silêncio. Na ocasião, Celio Martins Morales foi liberado porque não havia mandado em aberto contra ele e estava fora do período de flagrante delito, segundo a Polícia Civil.

Mulher foi encontrada no banheiro com tiro no peito

Vanuza Spala de Almeida, de 41 anos, foi encontrada morta com um tiro no peito, na madrugada deste domingo (9), dentro do banheiro da residência do caral – que fica às margens da ES 185, na localidade de Barra Feijão Cru, zona rural de Ibitirama.

Na data, segundo boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, Celio Martins Morales, ligou para familiares e pediu ajuda para que socorressem a esposa e, depois do resgate, deixou o local. O ex-vice-prefeito contou aos familiares que a mulher teria efetuado o disparo, tirando a própria vida,  após entrar no banheiro para tomar banho. Vanuza chegou a ser socorrida para um hospital, mas chegou à unidade sem vida.

A Polícia Militar foi até a residência do casal para ver o local onde o fato ocorreu. Na casa, os militares não encontraram manchas de sangue ou pegadas, mas relataram, no registro da ocorrência, haver indícios de que a residência teria sido limpa recentemente. A arma, uma carabina Rossi calibre .22, foi apreendida pela PM.

A reportagem tentou contato com a defesa de Celio Martins Morales para um posicionamento sobre o assunto.

Beatriz Caliman / A Gazeta