“Eu me sinto vítima de um complô”, diz dono da Itapemirim após deixar 45 mil pessoas sem voos

“Eu me sinto vítima de um complô e de um ataque. Estão tentando destruir a companhia por outros meios, que não pela competência. Pela competência, nós somos melhores”. As palavras são do dono do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva de Jesus. Em uma entrevista exclusiva ao jornalista Roberto Cabrini, do Domingo Espetacular da TV Record, Piva falou sobre o atual momento do braço aéreo do grupo, a ITA. A empresa paralisou suas atividades e cancelou voos nas últimas semanas de dezembro e deixou mais de 45 mil pessoas sem respostas.

A empresa voltou aos holofotes nas últimas semanas, após a suspensão das atividades de uma hora para outra, sem aviso aos clientes. À reportagem, Piva disse que a paralisação aconteceu porque as empresas terceirizadas, que prestavam serviços para a ITA, suspenderam a operação aeroportuária da companhia.

Numa entrevista recheada de acusações, Piva falou culpa ainda os herdeiros de Camilo Cola, que hoje em dia lutam para retomar o comando da empresa.

Fonte: AquiNotícias.Com