ES registra primeira morte por febre maculosa em 2023

Um morador de Barra de São Francisco, na região Noroeste do Espírito Santo, teve a morte por febre maculosa confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta segunda-feira (19). Ela é causada pela picada do carrapato-estrela infectado com bactérias da família Rickettsia.

Com isso, o caso fica registrado como o primeiro óbito pela doença no território capixaba em 2023.

Segundo a pasta, de janeiro deste ano até esta semana, o Estado havia registrado 10 casos, com uma morte.

Os casos confirmados neste ano são dos municípios de: Afonso Cláudio (01), Barra de São Francisco (03), Colatina (01), Mimoso do Sul (02), Nova Venécia (01), Laranja da Terra (01) e Domingos Martins (01).

Em 2022, foram 25 casos confirmados, sendo 14 curas e 11 óbitos.

A Sesa acrescentou que entre as ações realizadas com apoio das superintendências de Saúde e dos municípios capixabas, estão:

– a emissão de nota técnica com orientações para conduta clínica dos casos e alerta aos profissionais da Saúde para suspeição da doença;

– capacitações aos profissionais médicos, enfermeiros e agentes de saúde;

– visitas aos locais para acompanhamento in loco; além do trabalho de educação de saúde orientada pela Sesa e promovida pelos municípios.

Também destacou que o trabalho de investigação está com o Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen/ES) que, em 2022, passou a realizar exames de PCR para a febre maculosa, garantindo maior agilidade no diagnóstico dos casos suspeitos.

E finalizou dizendo que “em relação ao período de maior ocorrência de casos, esse acontece entre os meses de agosto a outubro, devido ao aparecimento da fase de ninfa do carrapato”.

O que diz a Prefeitura de Barra de São Francisco

A Secretaria Municipal de Saúde de Barra de São Francisco também foi procurada para detalhar o caso e quais as medidas que serão tomadas na cidade a partir da confirmação desta morte.

A matéria será atualizada quando a resposta for enviada.

O que é a febre maculosa?

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre maculosa é uma doença infecciosa causada por bactérias do gênero Rickettsia, capaz de provocar febre aguda com gravidade variável.

A doença também pode se apresentar desde as formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com alto grau de letalidade. Atualmente, a região de Campinas (SP) passa por um surto da doença com a confirmação de quatro mortes.

A doença não é contagiosa e não é transmitida de pessoa para pessoa, como a gripe, por exemplo.

No Brasil, duas espécies de bactérias estão associadas à febre maculosa:

• Rickettsia rickettsii
• Rickettsia parkeri   

Ambas as doenças são transmitidas por carrapatos do gênero Amblyomma, mais especificamente o carrapato-estrela.

Além da febre, como o próprio nome indica, os sintomas incluem:

• Dor de cabeça intensa
• Enjoo
• Vômito
• Diarreia
• Dor abdominal
• Dor muscular constante

Os pacientes também podem apresentar manchas vermelhas nos pulsos e tornozelos, que não coçam, porém, podem aumentar em direção às palmas das mãos, braços ou às solas dos pés.

Em casos mais graves, pode ocorrer gangrena nos dedos e nas orelhas e paralisia dos membros, quadro que se inicia nas pernas e sobe até os pulmões, causando parada respiratória.

Fonte: FolhaVitória.Com