Cantor Eduardo Costa terá que provar à Justiça que não cometeu crime em negociação imobiliária

O cantor sertanejo Eduardo Costa terá 15 dias para reunir documentos que comprovem que não houve crime na venda de um imóvel, em 2015, em Capitólio, no Sul de Minas. O negócio virou processo na Justiça por suspeita de estelionato. O artista foi interrogado pelo juiz da 11ª Vara Criminal de Belo Horizonte, José Xavier Magalhães Brandão, nessa segunda-feira (10).

Os advogados de defesa solicitaram o prazo para juntar ao processo laudos periciais, certidões atualizadas de registros de imóveis, além de outros documentos.

Após o prazo, o Ministério Público estadual e a defesa do sertanejo devem apresentar suas últimas alegações antes da sentença final do magistrado.

Entenda o caso

O sertanejo virou réu em processo criminal na venda de uma mansão em um condomínio em Escarpas do Lago, em Capitólio, a 282 km da Capital. A propriedade foi usada como parte do pagamento de outro imóvel, em Belo Horizonte, avaliado em cerca de R$ 9 milhões. Porém, na negociação, o cantor teria omitido a informação de que o terreno do imóvel era alvo de ação judicial. Por conta disso, o MPMG quer a condenação do cantor para reparação dos danos causados pela infração penal.

Fonte: Notícias.R7.com